Uma Viagem pelo Brasil na Web

Brasil, 23 de Outubro de 2017

Bandeira do Brasil
Bandeira do Brasil

» Home
  :: Bandeiras
  :: Clima
  :: Culinária
  :: Cultura
  :: Curiosidades
  :: Dados Gerais
  :: Datas Comemorativas
  :: Divisão Política
  :: Economia
  :: Embaixadas
  :: Fauna
  :: Folclore
  :: Hidrografia
  :: Hino
  :: História
  :: Infra-Estrutura
  :: Litoral
  :: Parques
  :: População
  :: Relevo
  :: Reservas
  :: Tipos Populares
  :: Trajes Típicos
  :: Vegetação
  :: Sites Governamentais

 
» Regiões
» Estados
» Capitais
» Municípios


Brasil (BR)

Hidrografia
Bacia Amazônica | Bacia do São Francisco | Bacia do Prata | Bacia do Tocantins-Araguaia | Bacia do Atlântico Sul | Trecho Norte–Nordeste | Trecho Leste | Trecho Sudeste

Características:

O Brasil apresenta a mais extensa rede hidrográfica do Globo, com 55.457 km² de águas internas e muitos de seus rios são classificados entre os maiores do planeta. A grande maioria de seus rios são naturalmente navegáveis e serviram, no início da colonização do país, como vias de transporte, de penetração no interior do continente e elo de integração dos diversos núcleos de colonização. Por eles os bandeirantes desbravaram as regiões Centro-Oeste e Norte e promoveram a expansão das fronteiras para além do meridiano de Tordesilhas. Vários rios são, até hoje, as únicas vias de transporte e de ligação dos diversos núcleos habitacionais de suas margens, principalmente na Amazônia. As bacias brasileiras podem ser divididas em dois tipos:

  • Bacia Planáltica - Permitem aproveitamento hidrelétrico, como o que ocorre nas Usinas de Urubupungá, Iguaçu e Marimbondo (Bacia do Paraná) e Pirapora, Sobradinho e Paulo Afonso (Bacia do São Francisco).

  • Bacia de Planície - Utilizadas para navegação.

A maior parte dos rios brasileiros alimenta-se com água proveniente das chuvas, apresentando cheias no verão e estiagens no inverno, excetuando-se os rios Amazonas e Uruguai, que têm cheias de primavera e os rios do Nordeste, cujas cheias são de outono/inverno. Prevalecem os rios perenes, com exceção dos rios do Sertão Nordestino semi-árido, onde existem diversos temporários.
O Brasil tem poucos lagos, que são de três categorias:

  • Costeiros - Formados pelo fechamento de uma restinga ou cordão arenoso, como as Lagoas dos Patos, Mirim e Mangueira, no Rio Grande do Sul; Araruama, Maricá e Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro;

  • Fluviais ou de Transbordamento - Originados pelo transbordamento de rios, como o Manacapuru, no Amazonas; Mandioré e Cáceres, em Mato Grosso.

  • Mistos - Combinam os dois tipos anteriores, como a Lagoa Feia, no Rio de Janeiro e Manguaba em Alagoas.

O Brasil possui algumas das maiores ilhas fluviais do mundo. Na foz do rio Amazonas, no Estado do Pará, encontra-se a Ilha de Marajó, maior ilha flúvio-marinha do Mundo, com 50 mil km² e um dos grandes santuários ecológicos do Planeta. Além dela encontramos as ilhas Gurupá, Caviana e Mexiana. No rio Araguaia encontra-se a ilha do Bananal, com 20 mil km² de área, é a maior ilha fluvial do Mundo. Abriga o Parque Nacional do Araguaia e duas Reservas Indígenas: Carajás e Javaés. Parte da Ilha é inundada durante os meses de janeiro a março, época de cheia do rio Araguaia. Possui fauna e flora bem variada.

Bacia Amazônica:

É a maior bacia brasileira. São 23 mil km de rios navegáveis. Tem o maior potencial hidrelétrico do País, mas a baixa declividade do seu terreno dificulta a instalação de Usinas Hidrelétricas. Seu Rio, o Amazonas, tem cerca de 7 mil afluentes, sendo os principais o Negro, o Trombetas e o Jari (margem esquerda); o Madeira, o Xingu e o Tapajós (direita). O Amazonas é o rio de maior vazão de água (100.000 m³/s) e também o maior em extensão do Planeta, com seus 6.868 km de comprimento. Na época das cheias, o encontro de suas águas com o mar provoca um fenômeno conhecido como "Pororoca", quando se formam ondas enormes que invadem o continente. O barulho do impacto pode ser ouvido a grandes distâncias.

Bacia do São Francisco:

É formada pelo Rio São Francisco e seus afluentes. Situa-se quase totalmente em áreas de planalto, entre altitudes que variam de 400 a 1.000 m. Atravessa a Região Sudeste chegando até à Nordeste, sendo por isso denominado "Rio da Integração Nacional". Embora atravesse longo trecho em clima semi-árido, é um rio perene e navegável em um longo trecho de cerca de 2 mil km, entre Pirapora e Juazeiro / Petrolina, e em outros trechos apresenta fortes quedas e tem seu potencial hidrelétrico aproveitado através das Usinas de Paulo Afonso e Sobradinho na Bahia, Três Marias, em Minas Gerais e Moxotó, em Alagoas, entre outras.

Bacia do Prata:

É formada pelo conjunto das bacias dos Rios Paraná, Paraguai e Uruguai.

  • Bacia do Paraná - Situada na parte central do Planalto Meridional brasileiro é essencialmente planáltica, ocupando o primeiro lugar em potencial hidrelétrico do País. É nela que se encontra a Usina de Itaipú, entre outras. Sua navegabilidade e a de seus afluentes vem sendo aumentada pela construção da Hidrovia Tietê–Paraná.

  • Bacia do Paraguai - É típica de planície, destacando-se pelo seu aproveitamento como hidrovia interligada a outras bacias, especialmente à do Paraná. Atravessa a Planície do Pantanal e é muito utilizado na navegação regional.

  • Bacia do Uruguai - Tem um trecho planáltico, com potencial hidrelétrico e outro de planície, entre São Borja e Uruguaiana (RS).

Bacia Tocantins-Araguaia:

É a maior totalmente brasileira, com área de 803.250 km². Seu Rio principal, o Tocantins, nasce na confluência dos Rios Maranhão e Paraná, em Goiás, e deságua na foz do Rio Amazonas, no Pará. Durante o período de cheias é navegável em um trecho de 1.900 km, entre as Cidades de Belém (PA) e Peixe (GO). Em seu curso inferior situa-se a Hidrelétrica de Tucuruí, que abastece os projetos de mineração da Serra dos Carajás e da Albrás. O Araguaia, outro Rio importante desta Bacia, é navegável num trecho de 1.100 km.

Bacia do Atlântico Sul:

É formada por bacias pequenas e médias de rios que correm próximo ao litoral e deságuam no Oceano Atlântico.

Trecho Norte–Nordeste :

Formado por rios perenes que correm ao norte da Bacia Amazônica e entre as fozes dos Rios Tocantins e São Francisco. O principal é o Parnaíba. Sua foz, entre o Piauí e o Maranhão, forma o único Delta Oceânico das Américas. Cobre uma área de 2.700 km².

Trecho Leste:

Formado pelas bacias dos rios que correm entre a foz do São Francisco e a divisa entre os Estados do Rio de Janeiro e São Paulo. Seu Rio mais importante é o Paraíba do Sul.

Trecho Sudeste:

Formado pelas bacias dos rios que estão ao sul da divisa dos Estados do Rio de Janeiro e de São Paulo. O Itajaí, em Santa Catarina, é o Rio mais importante.



® Copyright 2000-2017 - Brasil Channel - todos os direitos reservados por lei,  proibida a reprodução total ou parcial deste site.
LEI Nº 9.610/98 - DIREITOS AUTORAIS, LEI Nº 9.609/98 PROTEÇÃO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL e LEI No 10.695 - Código de Processo Penal